Porque tantas pessoas estão ficando ricas e você não ?

Conversamos com o Analista do mercado de criptoativos e criptomoedas da Exchange XCoin - www.xcoin.today , Alexandre Catalani e com a badalada Analista de Mercado Lavínia Monjardim.


Porque tantas pessoas estão ficando ricas e você não? Porque investir  ?

"Simples assim, se você não compra boas criptomoedas, o seu dinheiro vale X,  se você compra as boas criptomoedas, como, Bitcoin, Dogecoin, Ethereum, Nano, Enjin Coin e ou Kin Coin seu dinheiro em meses passa a valer 2 X e em um ano passa a valer 3, 4, 5 X,  as vezes, e como no caso dessas moedas citadas acima, passam a valer ate 10 X ou mais.  Tudo isso em apenas um ano.

Quem comprou Bitcoin em março de 2020 comprou na cotação  de 6 mil dólares cada Bitcoin. Hoje em 18 de março de 2021, ele já vale 60 mil dólares e subindo diariamente ... Ou seja, 10 vezes mais, e isso também aconteceu e continuará  acontecendo com as moedas, Dogecoin, Ethereum, Nano, Enjin Coin e ou Kin Coin". Afirma o investidor e Analista do mercado de criptoativos e criptomoedas da Exchange XCoin - www.xcoin.today , Alexandre Catalani.

'Temos uma completa linha de pacotes de criptomoedas, nossa Exchange só negocia com moedas que realmente dão  lucro aos pequenos médios e grandes investidores é só acessar escolher e comprar : http://www.xcoin.today"


Para comprar moedas digitais  e deixar guardadas aguardando  valorizar  mais e mais, é simples, fácil  e rápido :

1 - Vá  ate o Menu Produtos,

2 - Escolha a Moeda que deseja investir,

3 - Escolha o pacote do valor desejado, ( é possível escolher mais de um pacote para compor o valor desejado ),

4 - Finalize seu pedido e o cadastro,

5 - Agora você deverá realizar um PIX no valor integral da compra realizada em até 2 horas para :  

Chave Pix: xcoinbr@gmail.com

6 - Em seguida, envie-nos o comprovante do PIX por e-mail .

7 - Você  receberá  um e-mail de confirmação da compra e com o procedimento para receber em sua carteira digital caso não  prefira deixar guardada na XCoin.



Pacotes Bitcoin na XCoin:

https://www.xcoin.today/pacotes-bitcoin/


Catalani afirma ainda que na XCoin fica fácil o pequeno investidor e o leigo escolher em qual moeda investir, pois a XCoin já  filtrou e escolheu as melhores e mais lucrativas do mercado. "Em qualquer uma das moedas listadas em nossa Exchange haverá ganhos expressivos em 2021 / 2022."

https://www.xcoin.today/pacotes-dogecoin/



https://www.xcoin.today/pacotes-ethereum/



US$ 288 mil até dezembro?

Corrida altista do Bitcoin em 2021 ainda tem "alguns meses" pela frente, diz PlanB em meio à impaciência com o BTC/USD pairando abaixo das altas recentes.

US$ 288 mil até dezembro? Bitcoin 'não vai parar em US$ 100 mil', diz criador do stock-to-flow

O Bitcoin (BTC) tem muito espaço para crescer em sua atual corrida de alta e "não vai parar" em US$ 100.000, de acordo com analistas, incluindo o PlanB.

Em várias postagens nas mídias sociais em 17 de março, o criador do modelo stock-to-flow se juntou a outros na previsão otimista de novas máximas históricas para BTC/USD.

PlanB aproveita o preço médio de US$ 288.000 do modelo S2FX

Com o Bitcoin sendo negociado lateralmente abaixo de seus picos recentes em US$ 58.300 e US$ 61.700, os investidores estão curiosos para saber onde a corrida de alta de 2021 pode terminar.

Conforme relatado pelo Cointelegraph, dependendo do indicador de preço usado, o pico pode estar desconfortavelmente próximo ou ainda distante. Para os seguidores do stock-to-flow, a resposta permanece firmemente a última opção e, em comparação com os ciclos de alta anteriores, 2021 está apenas começando.

“Estamos apenas 3,5 meses no mercado altista do Bitcoin”, resumiu o PlanB.

“IMO BTC não irá parar em US$ 100 mil e continuará no nível de preço médio de US$ 288 mil S2FX (ATH será mais alto).”

Ele referenciou seus modelos de ativos stock-to-flow e stock-to-flow cruzado, que fornecem uma previsão de preço BTC/USD médio de US$ 100.000 e US$ 288.000 durante o ciclo de redução da moeda, definido para terminar em 2024.

Esta é apenas a média, no entanto, e o Plano B acredita que o pico deste ciclo pode ser o dobro ou até mais - potencialmente mais de US$ 576.000.

Gráfico de ativos cruzados de stock-to-flow de bitcoin (S2FX) em 17 de março. Fonte: PlanB / Twitter

Ganhos de 6X até dezembro?

Atualmente, o Bitcoin está seguindo a trajetória do stock-to-flow quase ao pé da letra - “como um relógio”, como o Plano B o descreve - e ainda não dá sinais de que o topo do ciclo está se aproximando.

Como observa o colega analista Rekt Capital , esses sinais tendem a vir na forma de BTC/USD rompendo acima da trajetória planejada.

“Desvios de alta nos preços da linha Stock to Flow tendem a preceder os topos do mercado altista do BTC”, escreveu a conta do Twitter.

“No momento, $BTC segue perfeitamente a linha Stock to Flow. Mas o Bitcoin não se desviou dele - ainda.”

Gráfico de stock-to-flow de Bitcoin com desvio destacado. Fonte: Rekt Capital / Twitter

Apesar do modelo stock-to-flow não existir durante o pico de preço do primeiro ciclo de halving do Bitcoin em 2011, ele atingiu um desvio de trajetória igual a 1.157%.

Continuando, o Plano B destacou dezembro de 2021 como o prazo final para US$ 288.000. Nas respostas do Twitter, ele argumentou que a corrida de touros tem “pelo menos mais alguns meses pela frente”.

Bitcoin: por que a criptomoeda subiu tanto?

“A bitcoin está subindo”, essa manchete vale para quase qualquer ano desde que ela começou a circular em 2009. Mas agora parece pra valer: nos últimos meses, a criptomoeda disparou e está batendo um recorde atrás do outro.

Ela sempre foi conhecida por ser instável e com poucas aplicações práticas, ou seja, você comprava e não tinha muito o que fazer com ela além de esperar a valorização pra vender em alta, tipo ações mesmo. Só que essa situação aparentemente começou a mudar.

Em dezembro de 2020, a unidade da bitcoin ultrapassou o valor de US $20 mil pela primeira vez na história, segundo dados do Coin Market Cap. E na segunda semana de janeiro o valor já estava em US $41 mil, seguindo uma alta de 400% registrada desde o começo de 2020 até agora.

Em reais, isso fica ainda mais impressionante: uma bitcoin equivale, na tarde do dia 9 de março de 2021, a R$ 312 mil. Essa disparada ajudou até o mercado geral das criptomoedas a atingir o total de capitalização de 1 trilhão de dólares pela primeira vez.

Ou seja, ainda existe a variação de preço ao longo dos dias, mas a tendência no fim das contas continua sendo a de crescimento. É importante ressaltar que essa matéria não é nenhum tipo de recomendação para entrar no mercado de criptomoedas. A nossa recomendação é que você se informe bastante antes de qualquer movimentação nesse setor.

Mas o que explica esse crescimento que parece ter sido do nada? Depois de muita pesquisa, encontramos alguns motivos que explicam essa disparada, cada um com a sua contribuição.

Popularização da Bitcoin

O primeiro motivo e talvez o mais importante é que agora a bitcoin está mais popular, inclusive e principalmente entre grandes empresas e pessoas que fazem parte do mercado financeiro. Ou seja, a criptomoeda não é mais aquela aposta de quem era mais ousado, ou aquele negócio mais obscuro e diferentão.

O PayPal finalmente cedeu e anunciou que vai adotar transações envolvendo bitcoin. O banco JPMorgan elogiou a valorização e previu essa popularização. E a tradicional seguradora norte-americana MassMutual comprou em dezembro de 2020 o equivalente a US $100 milhões em bitcoin.

A entrada desses gigantes do mundo financeiro não faz só a movimentação de dinheiro no setor aumentar, mas também a confiança na criptomoeda, já que a autoridade de quem faz esses discursos otimistas é grande e é levada em conta. Eles podem estar errados e quebrarem a cara no fim das contas? Até podem, mas pelo menos não fica o arrependimento se o preço continuar em alta e eles tiverem ficado de fora.

De olho na inflação

Outro ponto importante é a inflação. A economia mundial está sofrendo efeitos da pandemia da covid-19 e governos estão correndo contra o tempo com medidas emergenciais para salvar a economia, tentando fazer com que mais dinheiro entre em circulação mesmo em tempos tão difíceis.

Mas claro que isso não é nada fácil com problemas na saúde, na indústria e com um alto nível de desemprego em alguns países. Como consequência dessa alta da inflação, o poder de compra da população cai.

E onde a bitcoin entra nisso tudo? Ela é vista como uma boa alternativa em um momento em que algumas moedas e formas tradicionais de investimento estão desvalorizadas. E a proteção contra a inflação é tida como uma das principais características da criptomoeda, principalmente porque ela tem um suprimento total limitado, que mais ou menos ajuda a deixar o setor nos trilhos.

Superando a barreira da desconfiança

Outro motivo que explica não exatamente a subida, mas por que ela ainda não voltou a cair, é o fator psicológico. A falta de confiança, ou o excesso de desconfiança, era um dos fatores que fazia a bitcoin ser vista como um negócio extremamente arriscado e que não iria disparar como muita gente imaginava.

De fato, a bitcoin não virou aquela moeda digital de uso cotidiano que muita gente imaginava que ela seria, pra você pagar coisas por aí usando recursos da carteira virtual. Mas, por outro lado, ela finalmente ultrapassou totais de capitalização que nem eram imaginados por muita gente, e esse valor está se mantendo alto já por alguns meses. Superada essa barreira, a confiança volta e os investimentos aumentam.

Bitcoin bate recorde e atinge marca de US$ 60 mil pela primeira vez

Os preços do Bitcoin mais que dobraram até agora neste ano, um aumento de 107% em relação ao preço de fechamento de 31 de dezembro

Os preços do Bitcoin continuam subindo rapidamente. A criptomoeda ultrapassou US$ 60.000 no sábado e atingiu um novo recorde, poucas semanas depois de chegar a US $ 50.000.

A criptomoeda, que atingiu 60.120 dólares em seu melhor nível na sessão até 9h20 (horário de Brasília), subiu mais de 2% em relação ao recorde anterior de 58.354,14 dólares atingido em 21 de fevereiro. Os bitcoins em circulação já valem mais de US$ 1 trilhão.

Os preços do Bitcoin mais que dobraram até agora neste ano, um aumento de 107% em relação ao preço de fechamento de 31 de dezembro de US$ 28.987,60. Os investidores estão animados com o fato de a Tesla (TSLA) de Elon Musk ter anunciado em fevereiro que possui US$ 1,5 bilhão em bitcoins em seu balanço patrimonial. A Tesla também disse que pretende permitir que os consumidores usem bitcoin para comprar seus carros e SUVs.

Isso gerou especulações de que outras grandes empresas podem em breve adicionar bitcoin ou outras criptomoedas a seus balanços, já que o bitcoin está gerando um retorno significativamente maior do que títulos e dinheiro.

A empresa de software MicroStrategy (MSTR) tem comprado ativamente bitcoin. As principais empresas financeiras estão ajudando a validar a criptomoeda. Os gigantes do Payments Square (SQ) e PayPal (PYPL) permitem que seus usuários comprem e vendam. Os gigantes do processamento de cartão de crédito Visa (V) e Mastercard (MA) também estão adotando criptomoedas. BlackRock (BLK) e Bank of New York Mellon (BK) também começaram a se envolver com bitcoin.

Os investidores estão migrando para o bitcoin por causa da percepção de que a moeda pode ser uma boa proteção contra a inflação e um dólar mais fraco se os rendimentos dos títulos continuarem a subir.
Os defensores do bitcoin argumentam que a criptomoeda é como o "ouro digital" e pode até substituir o metal amarelo como o antídoto de escolha para a inflação. Para esse fim, o bitcoin disparou este ano, enquanto o ouro caiu.

Os temores de inflação voltaram agora que o presidente Joe Biden assinou o pacote de estímulo de US$ 1,9 trilhão. Existem preocupações sobre se esse dinheiro é realmente necessário. Alguns temem que o estímulo possa causar superaquecimento da economia e levar a uma inflação muito mais alta. Afinal, agora existem várias vacinas Covid-19 e mais pessoas estão retornando ao trabalho, o que deve impulsionar a economia - e os preços do bitcoin.

O Bitcoin se beneficiou do reconhecimento dos investidores de que a criptomoeda é mais escassa do que ouro ou outros metais preciosos. Isso porque há um limite de apenas 21 milhões de bitcoins embutidos no código-fonte da criptomoeda disponível para ser minerado - o processo de usar computadores ou servidores para resolver problemas matemáticos complexos para gerar bitcoin. Cerca de 18,6 milhões de bitcoins estão em circulação.

O bitcoin não é a única criptomoeda que está ganhando impulso. Moedas digitais menores, como ethereum, litecoin e estelar, dispararam em 2021.

O otimismo sobre as criptomoedas impulsionou as ações de empresas de mineração de criptografia de capital aberto, como Riot Blockchain (RIOT), Marathon Patent Group (MARA) e Hive (HVBTF). E a bolsa de criptomoedas Coinbase, que entrou com pedido para listar suas ações diretamente no final deste ano, é uma das estreias no mercado de ações mais esperadas em 2021.

(Com informações da Reuters)

(Esse texto foi traduzido. Clique aqui para ler o original)


Analista aponta 4 criptomoedas que podem ter lucro de até 100.000% no mercado

'Corrida de touros' ainda não terminou e grandes valorizações devem acontecer, aponta Lavínia Monjardim.

Além das moedas, Enjin e Kin Coin, o Analista de cripitoativos e moedas digitais da exchange www.xcoin.today no Brasil, Alexandre Catalani, recomenda fortemente a imediata compra de tudo quer for possível de DOGECOIN e NANO COIN, alem é  claro das moedas com certeza de grandes lucros ENJI COIN e KIN COIN .

Todas disponíveis  aqui em : www.xcoin.today

Analista aponta 8 criptomoedas que podem ter lucro de até 100.000% no mercado

 

O preço do Bitcoin (BTC) deve continuar enfrentando uma onda de valorização no mercado nos próximos meses, ao mesmo tempo em que impulsiona o crescimento de outras criptomoedas.

Pelo menos essa é a previsão da investidora e analista Lavínia Monjardim, que apontou algumas altcoins que podem ser impulsionadas pelo aumento do preço do Bitcoin.

Para a especialista em criptomoedas, em alguns casos esse ‘empurrãozinho’ pode resultar em até 100.000% de lucro, segundo diz uma previsão publicada recentemente por ela no Facebook, confira:

Enjin Coin (ENJ)

Baseada no volume de capitalização da Enjin Coin (ENJ), Lavínia Monjardim aponta que essa criptomoeda pode apresentar um retorno de até 100.000% no mercado, entre 2021 e 2022.

Com um projeto voltado para a indústria de games, a Enjin Coin tem um potencial de ainda alcançar 100.000% no mercado, considerando o mercado de capitalização da criptomoeda.

Além de falar sobre o aumento no mercado de capitalização, a analista sugere que a ENJ deve acumular essa valorização logo após o preço do Bitcoin atingir US$ 250 mil no mercado.

“Com pouca concorrência e seu próximo grande lançamento Efinity, a ENJ está posicionada para se estabelecer como um gigante dos jogos.”


Preço do Enjin Coin em 2021 (Fonte:CoinMarketCap)

Kin (KIN)

Assim como o Enjin Coin, a Kin (KIN) é uma criptomoeda que pode enfrentar uma valorização de 100.000% no mercado, segundo previsão da analista Lavínia Monjardim.

Nesse caso, a altcoin representa uma plataforma de monetização de usuários através de anúncios publicitários. No total, o projeto já conta com mais de 25milhões de usuários ativos atualmente.

Portanto, em um cenário de capitalização de US$ 4 trilhões para o Bitcoin até o final de 2021, a Kin pode subir 100.000%, e valer até US$ 0,09529 no mercado, considerando a cotação nesta quinta-feira (11).

“A KIN já tem 25 milhões de usuários ativos e 45 milhões de usuários passivos e está prestes a revolucionar completamente a indústria de anúncios, permitindo que os desenvolvedores monetizem seus usuários.”


Preço da criptomoeda Kin (Fonte:CoinMarketCap)

Além das moedas, Enjin e Kin Coin, o Analista de cripitoativos e moedas digitais da exchange www.xcoin.today no Brasil, Alexandre Catalani, recomenda fortemente a imediata compra de tudo quer for possível de DOGECOIN e NANO COIN, alem é  claro das moedas com certeza de grandes lucros ENJI COIN e KIN COIN .

Todas disponíveis  aqui em : www.xcoin.today

Categoria:Econômia

Deixe seu Comentário